Por motivo de manutenção dos servidores da UEPB, os números anteriores do Boletim estão temporariamente inacessíveis.
Este é o blog da Sociedade Paraibana de Arqueologia. Contato: sparqueologia@gmail.com

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Estudos de evolução humana na USP estão ameaçados de extinção

O Laboratório de Estudos Evolutivos Humanos (LEEH), do Departamento de Genética e Biologia Evolutiva do IB-USP, foi por mim criado em 1994. Até hoje é o único laboratório da América do Sul a pesquisar a evolução humana sob uma perspectiva paleoantropológica, portanto, interdisciplinar por definição. Nossa pesquisa de maior destaque refere-se a Luzia, a primeira americana, que se tornou o ícone da pré-história brasileira. Hoje, o Laboratório desenvolve mais de dez projetos de pesquisa em parceria com diversas instituições do Brasil e do exterior. Recentemente, deu início a um projeto paleoantropológico na Jordânia, buscando nossos ancestrais que há 2 milhões de anos se expandiram da África para o Oriente e para a Europa. Essa é a primeira vez que cientistas brasileiros estabelecem um projeto paleoantropológico fora do país. O LEEH-USP também se dedica freneticamente à divulgação do conhecimento da evolução humana para o público leigo, numa cruzada significativa contra a expansão do criacionismo no país. Entre essas atividades destaca-se a exposição “Do macaco ao homem”, recentemente implantada no Catavento Cultural, financiada pelo CNPq e pelo próprio Catavento, que consumiu recursos da ordem de um milhão de Reais. O LEEH também é o fiel depositário junto ao IPHAN e ao IBAMA de coleções arqueológicas e paleontológicas referentes aos primeiros americanos, destacando-se aí a maior coleção de esqueletos desses primeiros colonizadores do continente. Possui ainda uma infraestrutura física invejável, que não deixa nada a dever a instituições congêneres no exterior. Nos últimos dez anos só a FAPESP injetou cerca de dois milhões de dólares nessa infraestrutura e nos projetos que desenvolvemos. Mas tudo isso está ameaçado de extinção. Com minha aposentadoria em futuro próximo não há a menor possibilidade de que seja contratado um docente para assumir o laboratório. Isto se deve a duas razões complementares: por um lado, a reitoria atual não está provendo novas vagas de docente e por outro, mesmo que ela o faça, nada garante que o Departamento de Genética e Biologia Evolutiva aloque essa vaga para a área da Antropologia Biológica. O departamento é majoritariamente constituído por geneticistas humanos, grupo de excelência, mas que têm enorme dificuldade de entender que nossa área envolve três campos do conhecimento: antropologia, arqueologia e biologia evolutiva. Esse é o preço real que se paga na USP por ser de fato interdisciplinar. Se você se simpatiza com minha causa, por favor envie mensagens para o reitor da universidade Marco Antônio Zago (marazago@usp.br), com cópia para o vice-reitor Vahan Agopyan (vahan.agopyan@poli.usp.br) e para o chefe do Departamento de Genética e Biologia evolutiva Luis Neto (nettoles@ib.usp.br) Só a pressão social poderá evitar que o Brasil perca esse matrimônio material e imaterial que foi construído a duras penas nos últimos 25 anos. Walter Neves, Professor Titular (waneves@ib.usp.br).

The study of human evolution in São Paulo University might be coming to an end

The Laboratory for Human Evolutionary Studies (LEEH) of the Department of Genetics and Evolutionary Biology (São Paulo University) was created in 1994 and this is the only laboratory in South America doing interdisciplinary research on human evolution. The investigation of the morphological affinities of Luzia, the oldest skeleton found in the New World, was among the most relevant projects of our laboratory in the last decades. Today LEEH develops more than ten research projects in collaboration with several institutions in Brazil and abroad. Recently, a paleoanthropological project in Jordan was initiated aiming to investigate the fossil evidence left by our ancestral when they left Africa 2 million years ago. This is the first time Brazilian scientists establish a paleoanthropological mission outside the country. LEEH have also invested a large amount of energy propagating human evolution to the general public. This is particularly important in a moment when creationism is constantly gaining space in Brazil’s educational system. As part of those efforts, it is worth highlighting the inauguration of the first Brazilian exhibition exclusively dedicated to human evolution. Conceptualized by LEEH and financed by the Brazilian Foundation for the Advancement of Science and Catavento Cultural the exhibition “From Ape to Man” represents an investment of a million dollars in making human evolution more popular in Brazil. LEEH also houses important archeological and paleontological collections including the largest number of early Holocene human skeletal remains available in the continent today. The infrastructure of LEEH is within international standards and in the last ten years FAPESP invested more than two million dollars in improving our facilities and sponsoring our projets. Unfortunately this institution might cease to exist in the near future. The moment of my retirement gets closer every day and my colleagues in the Department would rather shut LEEH down once that happens so they could free my position to a regular geneticist. This must not happen and a proper substitute must be hired to carry on LEEH’s mission. It is my impression they sometimes forget how important true interdisciplinarity is in the academy of the 21st century. Not to mention the collections housed in our facilities, including skeletons dating to ten thousand years ago, that would certainly not be safe elsewhere. It will be only through academic pressure that the importance of an institution such as LEEH will be perceived by some of my peers. For this reason I ask you to assist in this crusade to assure paleoanthropolgy will not cease to exist in Brazil’s largest university. If you would be so kind to manifest your opinion to our dean this would be an important action to preserve our institution. Messages can be sent to the president of the University (Marco Antônio Zago marazago@usp.br) with copies to the vice-president Vahan Agopyan (vahan.agopyan@poli.usp.br) and to the head of the Department of Genetics and Evolutionary Biology (Luis Eduardo Soares Netto nettoles@ib.usp.br). Walter Neves, Full Professor (waneves@ib.usp.br).

0 comentários:

Leia por assuntos

Boletim da SPA eventos Arqueologia evento Pedra do Ingá IHGP História Patrimônio Vandalismo Lançamento Paleontologia Rev. Tarairiú Campina Grande Centro Histórico João Pessoa Revista Eletrônica Arte IHGC Juvandi Tarairiú Cariri Carlos Azevedo Homenagem Livro Museu Arqueologia Histórica Artigo Diário da Borborema Arquivo Espeleologia História da Paraíba Inscrições Rupestres MHN UEPB Nivalson Miranda Pesquisas Thomas Bruno Vanderley Arte Rupestre Encontro da SPA Evolução Exposição Fósseis IPHAEP Itacoatiaras LABAP Patrimônio Histórico Soledade São João do Cariri Achado Arqueológico E-book Falecimento IPHAN Missões Palestra Piauí Projetos Queimadas Raul Córdula SBE Semana de Humanidades Serra de Bodopitá UEPB UFCG Vale dos Dinossauros Acervo Antropologia Arqueologia Experimental Barra de Santana Boqueirão Brejo Cabaceiras Capitania da Paraíba Cartilha Clerot Cordel Descaso Escavação Estudos Evolutivos FCJA Forte Ingá Itatuba Lagoa Salgada Memórias Natal Niède Guidon Patrimônio Arqueológico Pesquisador Serra da Capivara Serras da Paraíba São João do Tigre UBE-PB USP Uruguai Walter Neves África ALANE ANPAP APA das Onças Amazônia Amélia Couto Antônio Mariano Apodi Araripe Areia Arqueologia Industrial Arqueologia Pública Aula de campo Aziz Ab'Saber Bacia do Prata Belo Monte Biografia Brasil CNPq Camalaú Caraúbas Carta circular Casino Eldorado Cavidade Natural Ceará Cemitério Comadre Florzinha Concurso Cozinhar Cuité Curimataú Curso Curta-metragem Datação Dennis Mota Descoberta Dom Pedro I Dossiê Educação Ambiental Educação Patrimonial Elpídio de Almeida Emancipação política Espaço Cultural Esponja Exumação Falésia do Cabo Branco Fazendas de gado Feira de Campina Grande Fonte Histórica Forte Velho Funai Fórum Permanente Ciência e Cultura Gargaú Geografia Geologia Geopark Guerra dos Bárbaros Guilherme História Viva Hominídeo IHCG IHGRN IPHAN-RN Ipuarana Jesuítas Jornal da Ciência José Octávio Juandi Juciene Apolinário Laboratório Lagoa Pleistocênica Lagoa de Pedra Lajedo de Soledade Linduarte Noronha Litoral Luto MAC Mato Grosso Matéria de TV Memórias do Olhar Mostra Museu Itinerante Ocupação humana Olivedos PROPESQ Paleo Paraíba Pará Pe. Luiz Santiago Pedro Nunes Pernambuco Pilões Pleistoceno Pocinhos Ponto de Cultura Projeto Catálogo Pré-História Pré-História submersa Quilombola Reivindicação Reportagem Revista Rio Paraíba SAB SBP SBPC Santa Luzia Sebo Cultural Seminário Semiárido Seridó Serra Branca Serra Velha Serra da Raposa Serra das Flechas Sertão Sessão Especial Sobrado Sumé São Mamede São Thomé do Sucurú Sócios TAAS Teleférico Terra Tome Ciência Técnicas Cartográficas UEPB Campus III Uol pelo Brasil Zonas arqueológicas caiabis mundurucu usina Índia Índios âmbar

Visitas desde SET 08

Translate

Estatísticas do google 2011

  © Arqueologia da Paraiba

Back to TOP