Por motivo de manutenção dos servidores da UEPB, os números anteriores do Boletim estão temporariamente inacessíveis.
Este é o blog da Sociedade Paraibana de Arqueologia. Contato: sparqueologia@gmail.com

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Brasileiros e franceses em excursão científica pelo Nordeste

Inscrição rupestre escolhida como símbolo do Parque Nacional Serra da Capivara - SPA
Mais de 3.600km percorridos, 17 cidades conhecidas, vários sítios históricos, arqueológicos e espeleológicos visitados, tudo isso em 7 dias. Foi esta a viagem feita por uma equipe de 10 pessoas formada por membros do LABAP / SPA e do grupo francês TERRE ET EAU (Terra e água). Do LABAP / SPA tivemos o arqueólogo Prof. Dr. Juvandi de Souza Santos, o Prof. Thomas Bruno Oliveira e o pesquisador Dennis Mota Oliveira, eles receberam gentilmente a visita de uma equipe de espeleólogos franceses, ansiosos para conhecer as cavidades naturais brasileiras, principalmente as localizadas no sudeste do Piauí (Parque Nacional Serra da Capivara) e no Curimataú da Paraíba (Parque Estadual Pedra da Boca).

A equipe do LABAP / SPA partiu de Campina Grande-PB no sábado, dia 16/07 para Recife-PE, onde encontrou a equipe francesa, cujo líder é o fotógrafo Marcus Barboza. Da capital pernambucana, a equipe seguiu com destino a São Raimundo Nonato-PI, chegando à tarde da segunda-feira dia 18/07. Em terras piauienses, o objetivo seria conhecer o patrimônio arqueológico e espeleológico da Serra da Capivara.

Equipe Franco-brasileira no sítio arqueológico Toca do Boqueirão do Pedro Rodrigues - SPA

O Parque Nacional Serra da Capivara teve sua demarcação concluída em 1990, está subordinado ao IBAMA que em 1994 assinou um convênio de co-gestão com a Fundação Museu do Homem Americano (FUMDHAM) e em 2002 um contrato de parceria. O Parque detém um dos maiores patrimônios culturais pré-históricos do continente, ocupando áreas dos municípios de São Raimundo Nonato, Coronel José Dias, João Costa e Brejo do Piauí. A superfície do Parque é de 129.140 ha e seu perímetro é de 214 Km. A cidade mais próxima do Parque Nacional é Cel. José Dias, sendo a cidade de São Raimundo Nonato o maior centro urbano. A distância que o separa da capital do Estado, Teresina, é de 530 Km.

O grande atrativo do Parque é a sua grande densidade de sítios arqueológicos “que permitiu o desenvolvimento de pesquisas constantes há 3 décadas, fornecendo informações sobre a origem do homem na região, a evolução climática e as transformações da paisagem nos últimos 100.000 anos.”

No Parque, acompanhado dos guias Mário e Juliana, a equipe visitou os sítios Toca do Boqueirão do Pedro Rodrigues, Sítio do Meio, Toca do Carlindo 2 e 3, Toca do Boqueirão da Pedra Furada, Toca da Boca do Sapo, Toca da Invenção, Toca do Martiliano, Toca da Ema do Sítio do Brás I e Toca do Caminho das Emas do Sítio Brás.

O Sítio do Meio, estava sendo alvo de mais uma pesquisa, ali uma nova campanha de escavação era coordenada pela Arqueóloga Marcela Valls. O Sítio foi descoberto em 1973 e em 1978 teve sua primeira atividade de escavação. Já a Toca da Invenção funciona como sítio escola para os alunos de graduação do curso de Arqueologia e Preservação Patrimonial do campus Serra da Capivara, da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF). É de impressionar a densidade de sítios arqueológicos em toda a área do Parque. Atualmente estão cadastrados 912 sítios, entre os quais, 657 apresentam pinturas rupestres, sendo os outros sítios ao ar livre (acampamentos ou aldeias) de caçadores-coletores, são aldeias de ceramistas-agricultores, são ocupações em grutas ou abrigos, sítios funerários e sítios arqueo-paleontológicos.

A estrutura de visitação dos sítios é simples porém muito eficiente, os degraus feitos para ascender serrotes e os caminhos facilitados para a passagem de cadeirantes são imperceptíveis em meio a uma densa vegetação acatingada, o que sobressalta aos olhos são somente as placas de sinalização, postas em lugares estratégicos e as passarelas, inseridas para o acesso ao sítio, sempre impedindo o contato com as inscrições.

Na manhã da quarta-feira, dia 20, a equipe foi conhecer a estrutura da FUMDHAM e o Museu do Homem Americano. Ali, os sócios foram recebidos pela arqueóloga Niède Guidon, a grande responsável por conceber o projeto do Parque, chefiando as pesquisas, denunciando o vandalismo e agarrando este projeto como o sentido de sua vida. São poucos os lugares no Brasil que possuem o primoroso zelo e comprometimento de seus gestores com o patrimônio como vemos no Parque Nacional Serra da Capivara, sua estrutura merece muito mais apoio do governo federal, que na verdade nunca abraçou este projeto como deveria.
Guidon recebendo a equipe da SPA

A cidade de São Raimundo Nonato respira seu patrimônio arqueológico, souvenires, indústria cerâmica, artesãos e o comércio estão baseados nos motivos arqueológicos da Serra, inclusive o mercado público da cidade é ornado com painéis, dentre eles, uma gigantesca imagem da Pedra do Ingá. Atualmente, 60 guias estão devidamente capacitados para conduzir os visitantes pois não é permitida a visitação sem o guia, todo este trabalho atraiu uma universidade federal e uma série de divisas para o sudeste do Piauí, localizado no coração da região Nordeste.

Segundo o guia Mário, o sonho de Niède Guidon é ver o aeroporto internacional Serra da Capivara ser totalmente construído, pois assim este patrimônio cultural da humanidade, reconhecido pela UNESCO em 2002, será acessível ao mundo, não dependendo da deficitária malha rodoviária.

Ao saber da presença da equipe da SPA no Parque, a diretora da FUMDHAM, Dra. Niède Guidon, abriu um espaço em sua agenda para receber os visitantes. Na ocasião o presidente da SPA, Prof. Thomas Bruno Oliveira, doou para o acervo da Fundação três volumes do livro PRÉ-HISTÓRIA II, material inédito recém saído da gráfica, e à Dra. Niède Guidon concedeu o título de Sócia Honorária da SPA. De posse do Diploma, com muita humildade, a eminente pesquisadora relatou: “Eu não mereço tudo isso, muito obrigada!”.

No retorno à Paraíba, a equipe visitou o Vale dos Dinossauros (21/07) e no dia seguinte foi a vez do Parque Estadual Pedra da Boca. O referido Parque possui 156 ha e está no limite da Paraíba com o Rio Grande do Norte, mais precisamente no município de Araruna. A região é o lugar preferido no estado da Paraíba para a prática de esportes radicais, o ecoturismo é explorado atualmente por algumas famílias moradoras das cercanias. Uma das maiores expressões de preservação do lugar é o Sr. Tico Cardoso, pessoa muito conhecida de todos que ali visita, recebendo turmas de estudantes e grupos de happel de toda a região.

Infelizmente o poder público estadual, há muito, não tem dotado o lugar de uma infra-estrutura mínima para visitação, as trilhas e placas postas em outrora são mantidas pelos esforços de Tico. Até meados de 2007 haviam guardas-florestais, que faziam a segurança do Parque, hoje é Tico e seus filhos que se esforçam para evitar o vandalismo do patrimônio arqueológico e espeleológico do lugar. Na visita, infelizmente, o Sr. Tico acabara de sofrer um ataque cardíaco e tinha sido levado para Natal-RN, afim de ter sua saúde reestabelecida.

No Parque, a equipe visitou a Pedra do Carneiro, a Pedra da Caveira e a Pedra da Santa, bizarras formações rochosas que integram a Serra das Confusões e possuem diversos painéis de inscrições rupestres em seus abrigos.

Torcemos para a sensibilidade dos governantes para a manutenção e investimento a estes patrimônios naturais existentes no Nordeste, o turismo sustentável é algo interessante e praticado no mundo todo, podendo ser mais uma possibilidade de atividade econômica capaz de desenvolver as cidades e estados envolvidos.

Confira mais no Boletim da SPA nº63
Com informações técnicas do portal da FUMDHAM.

0 comentários:

Leia por assuntos

Boletim da SPA eventos Arqueologia evento Pedra do Ingá IHGP História Patrimônio Vandalismo Lançamento Paleontologia Rev. Tarairiú Campina Grande Centro Histórico João Pessoa Revista Eletrônica Arte IHGC Juvandi Tarairiú Cariri Carlos Azevedo Homenagem Livro Museu Arqueologia Histórica Artigo Diário da Borborema Arquivo Espeleologia História da Paraíba IPHAEP Inscrições Rupestres MHN UEPB Nivalson Miranda Pesquisas Thomas Bruno Vanderley Arte Rupestre Encontro da SPA Evolução Exposição Fósseis Itacoatiaras LABAP Patrimônio Histórico Soledade São João do Cariri Achado Arqueológico E-book Falecimento IPHAN Missões Palestra Piauí Projetos Queimadas Raul Córdula SBE Semana de Humanidades Serra de Bodopitá UEPB UFCG Vale dos Dinossauros Acervo Antropologia Arqueologia Experimental Barra de Santana Boqueirão Brejo Cabaceiras Capitania da Paraíba Cartilha Clerot Cordel Descaso Escavação Estudos Evolutivos FCJA Forte Ingá Itatuba Lagoa Salgada Memórias Natal Niède Guidon Patrimônio Arqueológico Pesquisador Serra da Capivara Serras da Paraíba São João do Tigre UBE-PB USP Uruguai Walter Neves África ALANE ANPAP APA das Onças Amazônia Amélia Couto Antônio Mariano Apodi Araripe Areia Arqueologia Industrial Arqueologia Pública Aula de campo Aziz Ab'Saber Bacia do Prata Belo Monte Biografia Brasil CNPq Camalaú Caraúbas Carta circular Casino Eldorado Cavidade Natural Ceará Cemitério Comadre Florzinha Concurso Cozinhar Cuité Curimataú Curso Curta-metragem Datação Dennis Mota Descoberta Dom Pedro I Dossiê Educação Ambiental Educação Patrimonial Elpídio de Almeida Emancipação política Espaço Cultural Esponja Exumação Falésia do Cabo Branco Fazendas de gado Feira de Campina Grande Fonte Histórica Forte Velho Funai Fórum Permanente Ciência e Cultura Gargaú Geografia Geologia Geopark Guerra dos Bárbaros Guilherme História Viva Hominídeo IHCG IHGRN IPHAN-RN Ipuarana Jesuítas Jornal da Ciência José Octávio Juandi Juciene Apolinário Laboratório Lagoa Pleistocênica Lagoa de Pedra Lajedo de Soledade Linduarte Noronha Litoral Luto MAC Mato Grosso Matéria de TV Memórias do Olhar Mostra Museu Itinerante Ocupação humana Olivedos PROPESQ Paleo Paraíba Pará Pe. Luiz Santiago Pedro Nunes Pernambuco Pilões Pleistoceno Pocinhos Ponto de Cultura Projeto Catálogo Pré-História Pré-História submersa Quilombola Reivindicação Reportagem Revista Rio Paraíba SAB SBP SBPC Santa Luzia Sebo Cultural Seminário Semiárido Seridó Serra Branca Serra Velha Serra da Raposa Serra das Flechas Sertão Sessão Especial Sobrado Sumé São Mamede São Thomé do Sucurú Sócios TAAS Teleférico Terra Tome Ciência Técnicas Cartográficas UEPB Campus III Uol pelo Brasil Zonas arqueológicas caiabis mundurucu usina Índia Índios âmbar

Visitas desde SET 08

Translate

Estatísticas do google 2011

  © Arqueologia da Paraiba

Back to TOP