Por motivo de manutenção dos servidores da UEPB, os números anteriores do Boletim estão temporariamente inacessíveis.
Este é o blog da Sociedade Paraibana de Arqueologia. Contato: sparqueologia@gmail.com

sábado, 21 de março de 2009

Abrigos rochosos e cemitérios indígenas nos sertões da Paraíba

Juvandi de Souza Santos*

O projeto Cultural Tapuia nos Sertões da Paraíba, desenvolvido pelo LABAP/UEPB, visa estudar e conhecer os grupos índios da região do pós-contato, os Cariri e Tarairiú. Uma das formas de estudar esses grupos humanos extintos na Paraíba é através dos restos mortais, no caso dos índios Cariri e, os locais de atividades ritualísticas pós-morte, no caso dos índios Tarairiú, já que estes praticavam o endocanibalismo.

Já se sabe que esses grupos humanos buscavam os abrigos rochosos para a prática do último ritual de passagem: o da morte.Vários abrigos rochosos já foram escavados no interior da Paraíba; alguns já datados por TL, como o sítio Pinturas I, em São João do Tigre, com uma datação de 297 anos AP, e o sítio Furna dos Ossos, em São João do Cariri com três datações que comprova que os índios Cariri habitaram a região e sepultaram seus mortos naquele abrigo por cerca de 07 (sete) séculos.

As datações só corroboram com a historiografia dos períodos colonial e imperial que fornecem informações acerca desses grupos humanos e informa que de fato eles viveram na Paraíba. As cavidades naturais onde esses índios foram sepultados são de extrema importância para as pesquisas, por guardarem em seu interior materiais arqueológicos (ossos e dentes humanos, adornos corporais, materiais líticos e cerâmicos) que atestam a presença humana na região desde tempos imemoriais. Assim, pretendemos traçar o perfil cultural desses grupos e o processo de evolução e extermínio.

O grande problema que enfrentamos são os atos de vandalismo nesses ambientes, colocando em risco possíveis escavações e coleta de materiais arqueológicos, comprometendo nossas pesquisas.

*Vice-Presidente da SPA, Coordenador do Laboratório de Arqueologia e Paleontologia UEPB, Mestre em Arqueologia pela UFPE e Doutorando em História na PUC-RS.

Artigo publicado no SBE Antropoespeleologia Nº18 (15/03/2009)
Fotos: Arquivo da SPA.

4 comentários:

Anônimo,  27 de março de 2009 07:11  

Professor, é muito interessante esse trabalho. Nunca ví tantos trabalhos de arqueologia como ultimamente. Acompanho sempre os bons artigos do Thomas no DB e aqui posso ver q a Sociedade é múltipla, cheia de pesquisadores e boms escritores. Parabenize a equipe por mim.

Quando estiver em Campina, farei uma visita ao laboratório e a sede da spa.

saudações históricas.

Mário Duarte

Anônimo,  30 de março de 2009 06:47  

Ai como minha Paraíba é linda...
Demais!


Jéssica Almeida

francinilson 9 de maio de 2009 08:18  

Olha pessoal sou universitário do curso de história da FIP, e morro em São José do Sabugi cidade que possui um sítio tapuio com várias itacoatiaras. Seria interessante fazer um estudo aprofundado aqui. espero contato. nilson.oxente@hotmail.com

sebastiaofa 17 de outubro de 2009 21:04  

moro em catingueira e descobi um possivelcemiterio indigena e tambem pinturas em pedra ,gostaria que vc desse uma olhada nas fotos : orkut.sebastiaofa@bol.com.br

Leia por assuntos

Boletim da SPA eventos Arqueologia evento Pedra do Ingá IHGP História Patrimônio Vandalismo Lançamento Paleontologia Rev. Tarairiú Campina Grande Centro Histórico João Pessoa Revista Eletrônica Arte IHGC Juvandi Tarairiú Cariri Carlos Azevedo Homenagem Livro Museu Arqueologia Histórica Artigo Diário da Borborema Arquivo Espeleologia História da Paraíba IPHAEP Inscrições Rupestres MHN UEPB Nivalson Miranda Pesquisas Thomas Bruno Vanderley Arte Rupestre Encontro da SPA Evolução Exposição Fósseis Itacoatiaras LABAP Patrimônio Histórico Soledade São João do Cariri Achado Arqueológico E-book Falecimento IPHAN Missões Palestra Piauí Projetos Queimadas Raul Córdula SBE Semana de Humanidades Serra de Bodopitá UEPB UFCG Vale dos Dinossauros Acervo Antropologia Arqueologia Experimental Barra de Santana Boqueirão Brejo Cabaceiras Capitania da Paraíba Cartilha Clerot Cordel Descaso Escavação Estudos Evolutivos FCJA Forte Ingá Itatuba Lagoa Salgada Memórias Natal Niède Guidon Patrimônio Arqueológico Pesquisador Serra da Capivara Serras da Paraíba São João do Tigre UBE-PB USP Uruguai Walter Neves África ALANE ANPAP APA das Onças Amazônia Amélia Couto Antônio Mariano Apodi Araripe Areia Arqueologia Industrial Arqueologia Pública Aula de campo Aziz Ab'Saber Bacia do Prata Belo Monte Biografia Brasil CNPq Camalaú Caraúbas Carta circular Casino Eldorado Cavidade Natural Ceará Cemitério Comadre Florzinha Concurso Cozinhar Cuité Curimataú Curso Curta-metragem Datação Dennis Mota Descoberta Dom Pedro I Dossiê Educação Ambiental Educação Patrimonial Elpídio de Almeida Emancipação política Espaço Cultural Esponja Exumação Falésia do Cabo Branco Fazendas de gado Feira de Campina Grande Fonte Histórica Forte Velho Funai Fórum Permanente Ciência e Cultura Gargaú Geografia Geologia Geopark Guerra dos Bárbaros Guilherme História Viva Hominídeo IHCG IHGRN IPHAN-RN Ipuarana Jesuítas Jornal da Ciência José Octávio Juandi Juciene Apolinário Laboratório Lagoa Pleistocênica Lagoa de Pedra Lajedo de Soledade Linduarte Noronha Litoral Luto MAC Mato Grosso Matéria de TV Memórias do Olhar Mostra Museu Itinerante Ocupação humana Olivedos PROPESQ Paleo Paraíba Pará Pe. Luiz Santiago Pedro Nunes Pernambuco Pilões Pleistoceno Pocinhos Ponto de Cultura Projeto Catálogo Pré-História Pré-História submersa Quilombola Reivindicação Reportagem Revista Rio Paraíba SAB SBP SBPC Santa Luzia Sebo Cultural Seminário Semiárido Seridó Serra Branca Serra Velha Serra da Raposa Serra das Flechas Sertão Sessão Especial Sobrado Sumé São Mamede São Thomé do Sucurú Sócios TAAS Teleférico Terra Tome Ciência Técnicas Cartográficas UEPB Campus III Uol pelo Brasil Zonas arqueológicas caiabis mundurucu usina Índia Índios âmbar

Visitas desde SET 08

Translate

Estatísticas do google 2011

  © Arqueologia da Paraiba

Back to TOP