Este é o blog da Sociedade Paraibana de Arqueologia. Contato: sparqueologia@gmail.com

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Pesquisas em Lagoa Salgada buscam compreender a pré-história da região

Lagoas pleistocênicas são reservatórios naturais de água que contém vestígios de uma fauna extinta, grandes animais que viveram pelos sertões e que morreram nestes lugares (em busca de água) ou nas proximidades, sendo carreados para o fundo destas lagoas pelas enxurradas. O fato é que hoje estes lugares são fontes inesgotáveis de informações sobre os tempos pré-históricos, isto porque estes animais da Mega-Fauna viveram até aproximadamente 8 mil anos atrás, num período chamado de Pleistoceno. O estudo desta fauna pode nos dar diversas informações acerca da pré-história, e é buscando entender este passado que o arqueólogo Juvandi Santos e o paleontólogo Márcio Mendes chefiaram uma escavação, entre os dias 28 e 31 de janeiro, na Lagoa Salgada, distante 4 km da zona urbana de Areal-PB e 26km de Campina Grande.

A equipe de escavação foi composta pelo coordenador do Laboratório de Arqueologia e Paleontologia da UEPB Juvandi de Souza Santos, do Paleontólogo da UEPB Márcio Mendes, dos acadêmicos de Biologia UEPB Elnathan Monteiro e Allysson Allan, além dos pesquisadores sócios da Sociedade Paraibana de Arqueologia Thomas Bruno Oliveira e Dennis Mota, a atividade recebeu inteiro apoio da UEPB e da Prefeitura Municipal de Areal.

Os trabalhos estão apenas no início e esta atividade é a primeira campanha de escavação deste sítio paleontológico, que segundo o Prof. Juvandi “tem potencial para ser trabalhado por no mínimo 10 anos”. Foram coletados diversos fósseis da fauna pleistocênica, nas quadrículas escavadas, foi evidenciado parte de um Mastodonte, cujos fragmentos encontravam-se friáveis, em grande medida pela sua exposição na superfície, imposta no momento da descoberta, em meados de 2006, quando escavadeiras tentavam aumentar a capacidade de armazenamento de água da Lagoa, ação do projeto de revitalização do Rio Mamanguape.

Um cuidadoso processo de salvamento do material foi desempanhado pela equipe, utilizando a técnica de encasulamento que consiste no envolvimento das organizações fósseis em espessa camada de gesso, gase e papel cujo intuito era evitar a fragmentação dos fósseis. Todo o material foi devidamente acondicionado e trazido para o Laboratório de Arqueologia e Paleontologia da UEPB, onde passará pelo processo de catalogação e montagem, e assim, fará parte do acervo do Museu de Arqueologia e Paleontologia da UEPB, no largo do Açude Novo (Antigo MAAC).

Além da escavação, uma pesquisa arqueológica de entorno foi empreendida pela equipe. O pesquisador Thomas Bruno Oliveira, da SPA, encontrou cerâmica indígena nas cercanias da Lagoa, aumentando, portanto, a potencialidade de vestígios pré-históricos da área da Lagoa Salgada. A educação patrimonial foi um ponto forte dos trabalhos. Além da cobertura pela imprensa estadual, moradores de cidades vizinhas e da própria Areal esteviveram visitando as atividades e compreendendo a importância daqueles testemunhos para a compreensão do passado da região. Mais de três centenas de habitantes acompanharam a escavação.

É pretensão do Prof. Juvandi realizar uma segunda campanha de escavação na Lagoa Salgada ainda no fim deste ano “É muito importante a escavação de um local como este, pois os vestígios ali encontrados darão subsídios para entendermos o paleoambiente da região que hoje é a Paraíba”. Além da escavação, pretende-se realizar um levantamento dos sítios arqueológicos da região polarizada pela Lagoa.

Juvandi publicou recentemente o livro ‘Ensaios de Paleontologia Geral e da Paraíba’, abordando a fauna pleistocênica e os sítios paleontológicos do nosso Estado. O livro, que já está nas livrarias, será lançado oficialmente no III Encontro da Sociedade Paraibana de Arqueologia, evento que fará parte do Encontro para a Nova Consciência, no período de carnaval.

Foto: Lagoa Salgada - Areal-PB

3 comentários:

Joana DArc,  11 de fevereiro de 2009 00:43  

Parabéns pelo trabalho, essa escavação é sem dúvida uma boa noticia, espero que a segunda etapa seja ainda mais produtiva e possibilite novas descobertas. Parabéns mesmo a equipe pelo trabalho!!!E desde já desejo muito sucesso ao lançamento do novo Livro de Juvandi.

Jansen Brito - UEPB,  9 de maio de 2009 13:23  

Parabéns pelos trabalhos. Já era fã de paleontologia e agora então.
Abraço aos pesquisadores.

COSMOPIER 5 de setembro de 2010 12:38  

Sim, a Lagoa Salgada poderá trazer ainda muito mais informações sobre o fim do Pleistoceno. Novas pesquisa estão em andamento, visitem:

http://sites.google.com/site/cosmopier/impact-craters/end-pleistocene-palaeolagoons

abs
pierson

Leia por assuntos

Boletim da SPA eventos Arqueologia evento Pedra do Ingá IHGP História Patrimônio Vandalismo Lançamento Paleontologia Rev. Tarairiú Campina Grande Centro Histórico João Pessoa Revista Eletrônica Arte IHGC Juvandi Tarairiú Carlos Azevedo Homenagem Livro Museu Arqueologia Histórica Artigo Cariri Diário da Borborema Arquivo Espeleologia História da Paraíba Inscrições Rupestres MHN UEPB Nivalson Miranda Pesquisas Vanderley Arte Rupestre Encontro da SPA Evolução Exposição Fósseis Itacoatiaras LABAP Patrimônio Histórico Soledade São João do Cariri Thomas Bruno Achado Arqueológico E-book Falecimento IPHAEP IPHAN Missões Projetos Queimadas Raul Córdula SBE Semana de Humanidades Serra de Bodopitá UEPB UFCG Vale dos Dinossauros Acervo Antropologia Arqueologia Experimental Barra de Santana Brejo Cabaceiras Capitania da Paraíba Cartilha Clerot Cordel Descaso Escavação Estudos Evolutivos FCJA Forte Ingá Itatuba Lagoa Salgada Memórias Natal Niède Guidon Palestra Patrimônio Arqueológico Pesquisador Piauí Serra da Capivara Serras da Paraíba São João do Tigre UBE-PB USP Uruguai Walter Neves África ALANE ANPAP APA das Onças Amazônia Amélia Couto Antônio Mariano Apodi Araripe Areia Arqueologia Industrial Arqueologia Pública Aula de campo Aziz Ab'Saber Bacia do Prata Belo Monte Biografia Boqueirão Brasil CNPq Camalaú Caraúbas Carta circular Casino Eldorado Ceará Cemitério Comadre Florzinha Concurso Cozinhar Curimataú Curso Curta-metragem Datação Dennis Mota Descoberta Dom Pedro I Dossiê Educação Ambiental Educação Patrimonial Elpídio de Almeida Emancipação política Espaço Cultural Esponja Exumação Falésia do Cabo Branco Fazendas de gado Feira de Campina Grande Fonte Histórica Forte Velho Funai Gargaú Geografia Geologia Geopark Guerra dos Bárbaros Guilherme História Viva Hominídeo IHCG IHGRN IPHAN-RN Ipuarana Jesuítas Jornal da Ciência José Octávio Juandi Juciene Apolinário Laboratório Lagoa Pleistocênica Lagoa de Pedra Lajedo de Soledade Linduarte Noronha Litoral Luto MAC Mato Grosso Matéria de TV Memórias do Olhar Mostra Museu Itinerante Ocupação humana Olivedos PROPESQ Paleo Paraíba Pará Pe. Luiz Santiago Pedro Nunes Pernambuco Pilões Pleistoceno Pocinhos Ponto de Cultura Projeto Catálogo Pré-História Pré-História submersa Quilombola Reivindicação Reportagem Revista Rio Paraíba SBP SBPC Santa Luzia Sebo Cultural Seminário Semiárido Seridó Serra Branca Serra Velha Serra da Raposa Serra das Flechas Sertão Sessão Especial Sobrado Sumé São Mamede São Thomé do Sucurú Sócios TAAS Teleférico Terra Tome Ciência Técnicas Cartográficas UEPB Campus III Uol pelo Brasil Zonas arqueológicas caiabis mundurucu usina Índia Índios âmbar

Visitas desde SET 08

Translate

Estatísticas do google 2011

  © Arqueologia da Paraiba

Back to TOP